BAIXE AQUI
2ª VIA BOLETO

TELEFONES ÚTEIS

Antenas / TV a Cabo

D ZARTH

51- 3710-3022

Eduardo Volk

(51) 9186-0493

VITOR

(51) 9229 8123

Chaveiro

Chaveiro Pedrinho

(51) 3748-2799

(51) 9995-9842

Chaveiro Augusto

(51) 9622-0423

Celso Rex

(51) 9199-9438

Conserto Gás Central

Casa do fogão

(51) 3714-2001

(51) 9995-5288 Luis

Adilson Instalações

(51) 9 9238-1009

Desentupidor

Da Luz Desentupidora

3714-1060

Valmir desentupidora

(51) 9222-3590

(51) 9610-9297

Eletricista

Marcos Farias

(51) 9505-2484

Makiel Pezzi

(51) 9967-4009

Willian Kremer

(51) 9757- 1170

Elevador

Wolf e Wolf Elevadores

(51) 3716-1144

Thyssenkrupp - elevadores

0800-7080-499

Otis elevadores

0800 704 87 83

Encanador

Roberto Reginatto

(51) 9 8153-1043

Erlon - Sos

(51) 9 9894-0339

Extintores

GLOBAL EXTINTORES

(51) 8115- 9579

Faxineira

Kellen Serviços de Limpeza

(51) 9 9468-9219

Gesso

FERNANDO

(51) 9560-8645

Higienização / Dedetização

Desin Soluções Ambientais

(51) 3726-3888

Verde Vida

(51) 3712-1208

Ecopragas

(51) 9978- 9382

Extrema Manejo de Pragas

(51) 3729-6075

(51) 9808-7664

Jardineiro

Noel da Mota

(51) 9 9703-9917

Ademar Reis

(51) 9955-9238

Limpeza de Piscina

Eloir

(51) 9 9701-0111

Marceneiros

Sidinei - Esquadrias Gaúcha

(51) 9 9948-8250

Pedreiros

EDEVALDO

(51) 9672-9105

IVO SCHMEIER

(51) 8159- 9556

Inácio Lange

(51) 9 8165-4953

Pintor

RÉGIS FRISTCH

(51) 9845 7900

Ismael (MGN)

(51) 9950-1172

JAIRO BOTEGA

(51) 9953 3484

Portão / Interfone

BLACK SISTEMAS DE SEGURANÇA

51 3710-1443

BELPORT

(51) 9645-5292

Kaseg & WM

(51) 3714-4962

(51) 3714-2377

IDEA - IBANES

(51) 9739 6046

ELETROCHOK

(51) 9935-4864

Recarga de Gás

Elcio

(51) 3716-5071

(51) 9327-7206

ARCO GÁS

0800-510 6655

Central Gás

(51) 9596-1155

Rede de Proteção

Matias

(51) 9678-3307

Serralheiro

Marcos - Esquadrias Rio Grandense

(51) 9 9509-0422

FABIO LUIS FERNANDES

(51) 9634 6996

DIEGO FERRARI

(51) 9949 9088

João Weber

(51) 9 9163-8291

Vidraceiro

Vidraçaria Kramer

(51) 3748-1744

GERMANO M. KUHN

(51) 9298 - 1475

Vigilantes

Protepac

(51) 9646-4655

Prosul

(51) 9217-2158

GRUPO MIB

(51) 9855 2937

TELEFONES ÚTEIS SERVIÇOS CREDENCIADOS

No campo USUÁRIO informe CÓDIGO DE CLIENTE e na
SENHA informe seu CPF ou CNPJ (apenas números)



AVISO ENTRADA/SAÍDA
SOLICITE UMA PROPOSTA
SOLICITE UM CONSERTO
RESERVA DE SALÃO

DICAS DE CONFIANÇA

Dona de cachorro entra na Justiça após ser multada em condomínio

Quem tem animal de estimação, como cachorro, por exemplo, deve ser cauteloso e recolher imediatamente as fezes que ele porventura deixe em área comum do prédio onde mora. Essa conduta chega a ser óbvia para quem vive em sociedade, mas o juiz Guilherme de Macedo Soares, do Juizado Especial Cível de Santos, precisou recomendá-la ao decidir ação de uma moradora inconformada com a multa imposta pelo edifício, justamente por não respeitar esse preceito.

O prédio fica no Embaré, bairro de classe média de Santos. A moradora ajuizou a ação para que a Justiça declarasse inexigível a multa de um salário mínimo (R$ 724,00) aplicada pelo edifício com base na convenção condominial.

Ao julgar improcedente a pretensão da autora, o juiz reconheceu que a penalidade não é ilegal ou abusiva, sendo o edifício legítimo para impor a sanção prevista em seu regulamento.

A tentativa de conciliação entre moradora e condomínio foi infrutífera. Durante audiência de instrução e julgamento, o advogado da condômina afirmou haver "problemas pessoais" entre ela e o síndico por causa de episódio anterior, relacionado a um vaso de plantas do prédio que a autora levou ao seu apartamento sob o pretexto de lavá-lo, tendo-o recolocado em seguida no devido lugar.

Sobre a sujeira do cão da moradora, observada em duas ocasiões em áreas comuns do edifício, o advogado alegou falta de provas em relação ao primeiro caso, que resultou em advertência, e justificou que, na segunda vez, a própria condômina providenciou a limpeza ao ser avisada, inexistindo razão para a multa. Já a defesa do prédio justificou que a multa se deu pela reincidência e não por suposto conflito entre as partes.

Passeio e advertência

O magistrado destacou haver provas de que realmente foi o cão da autora quem defecou no edifício nas duas vezes, sendo o recolhimento das fezes realizado na segunda oportunidade apenas após ela retornar de um passeio e ser advertida por outra moradora sobre a sujeira feita pelo cachorro no hall.

O juiz também não vislumbrou retaliação por parte do síndico, mas apenas aplicação da convenção do condomínio.

"Em momento algum quero mencionar que a autora, ou deixou seu animal defecar propositadamente, ou subtraiu qualquer bem do condomínio. O que existiu foi um descuido por parte da autora em ter deixado seu animal defecar em área comum do condomínio e retirar um bem do condomínio, sem que avisasse, conforme já dito, àquele de direito", fundamentou Macedo Soares.

A retirada do vaso ocorreu quando outro condômino estava de mudança. Até que o objeto fosse reposto em seu devido lugar, suspeitas recaíram sobre esse morador.

"Aqui cabe também destacar que todos os bens pertencentes ao condomínio não autorizam os seus condôminos a tirá-los do local, ainda que seja com a melhor das boas vontades", frisou o magistrado.

FONTE: A Tribuna
PUBLICADO EM 03/09/2014
CLIQUE AQUI E CONFIRA OUTRAS DICAS!
Voltar uma página

51.3709-0092

Rua Liberato Salzano
Vieira Da Cunha - nº183
Bairro Americano - Lajeado/RS


utilizadores online

Confiança Administradora de Condomínios © 2019 - Todos direitos reservados   |   Desenvolvido por Rock7

Área de acesso  restrita!